Pharma Consult

Consultoria Farmacêutica especializada em Manipulação Veterinária

CUIDADO! Cortar comprimidos pode trazer riscos à saúde do seu animal de estimação.

Isso mesmo! Os medicamentos indicados aos animais são prescritos de acordo com seu peso corporal, sendo assim, um animal de 5 kg deverá tomar uma dose e um animal de 10 kg já tem indicação para o dobro da dose, ou seja, proporcional ao seu peso. Para adequar a terapêutica, muitos médicos veterinários acabam indicando a partição de comprimidos.
No entanto, estudos comprovam que a partição de um comprimido não garante que o ativo esteja disposto igualmente nas partes quebradas, bem como há perda considerável da matéria-prima devido à fragmentação no momento da partição, provocando desde doses subterapêuticas a sobredosagens, prejudicando a resposta do tratamento. Além do que, se o produto tem como objetivo atingir uma área específica no organismo a quebra do revestimento pode interferir na farmacocinética do ativo.
Em artigo publicado no periódico Journal of Advanced Nursing da Universidade de Ghent, na Bélgica, Verrue et al. (2011) descobriram que 31% dos comprimidos que foram divididos tinham uma dosagem diferente da esperada. Isso significa que partir um comprimido de 150 mg em duas partes não é o mesmo que dividi-lo em dois pedaços com 75 mg, podem ocorrer desvios de doses e/ou perda de peso. Até mesmo as pílulas cortadas por aparelhos específicos apresentam grande margem de erro, em 13% dos casos, a dosagem era diferente.
McDevitt et al. (1998) realizaram um estudo com subdivisão de comprimidos, mostrando que 41,3% das partes apresentaram desvios de mais de 10% do peso esperado, e 12,4% tiveram desvios maiores que 20%.
A partição de comprimidos pode ainda ocasionar problemas de estabilidade. Segundo Conti et al. (2007) o armazenamento das partes dos comprimidos também pode interferir em sua qualidade, uma vez que ficam suscetíveis a problemas de estabilidade.
O procedimento empregado na partição de comprimidos é outro fator de insucesso. Deve-se considerar a habilidade do tutor para entender e aderir aos esquemas terapêuticos envolvendo comprimidos partidos.
Dessa maneira, o medicamento manipulado terá um resultado mais eficiente pois é preparado na dose certa, sem desperdícios.
Converse com o Médico Veterinário.

Referências: MCDEVITT A.H; GURST Y.C; CHEN, Y. Accuracy of tablet splitting. Pharmacotherapy, v. 18, p. 193-197, 1998. | VANSANTEN, E; BARENDS, D.M; FRIJLINK, H.W. Breaking of scored tablets: a review. European Journal of Pharmaceutics and Biopharmaceutics. v. 53, p. 139-145, 2002.| VERRUE, E; et al. Tablet-splitting: a common yet not so innocent practice. Journal of Advanced Nursing, v. 67, n. 1, p. 26-32, 2011. | CONTI, M. A; et al. Partição de comprimidos: considerações sobre o uso apropriado. Boletim farmacoterapêutica, ano XII, n. 4-5, 2007.